Um data center pode garantir 0% de downtime?

Tempo de leitura:

Alguma vez você já acessou um site e ele estava fora do ar? É bem provável que sim. E os sistemas da sua empresa, já ficaram fora de operação por algum tempo? Isso também já deve ter acontecido. 

E quando o assunto é data center e seus softwares, desempenho, segurança e disponibilidade são essenciais. Portanto, quando você se depara com acessos indisponíveis, a sensação não é nada boa.

O chamado downtime, ou inatividade, representa o tempo que seu servidor fica fora do ar, comprometendo a disponibilidade dos sistemas. Para ilustrar, vamos calcular a disponibilidade de um servidor durante 1 ano.

Consideramos neste cálculo 5 horas de downtime:

Disponibilidade = Total de tempo - tempo de downtime / Total de tempo

Disponibilidade = 8760 - 5 / 8760

Disponibilidade = 99,94%


Isso implica dizer que quanto menor o downtime de um data center, maior a disponibilidade dos serviços, maior a satisfação de quem os utiliza e melhores os resultados para sua empresa.

Conseguir 100% de disponibilidade, no entanto, é algo praticamente impossível por diversos fatores, que incluem a infraestrutura, segurança e nível de serviço, entre outros, do data center com o qual sua empresa opera. Mas existem formas de reduzir o risco. E você precisa conhecê-las.

Causas de downtime e formas de minimizá-las

Um estudo da Emerson Network Power Independently, conduzido pela Ponemon Institute LLC, indicou como as principais causas das queda de data centers falhas no sistema de no-breaks e baterias, cibercrime e erro humano. O relatório também mostra que o custo do tempo de inatividade aumentou em 38% entre 2010 e 2016. No mesmo período, os custos máximos de tempo de inatividade estão subindo mais rápido que a média, aumentando 81%.

Por isso, buscar formas para minimizar a queda de conectividade e o downtime é essencial. Para isso, dispor de um data center com uma excelente infraestrutura e serviços é o primeiro passo.

Já falamos aqui no blog dos diversos tipos de data center, e não importa qual seja a escolha, existem requisitos que precisam ser considerados. Caso contrário, sua empresa corre o risco de lidar diariamente com um data center fora de operação.

Existem requisitos de infraestrutura que são fundamentais para garantir velocidade, confiabilidade e escala para seus serviços de data center. Sistemas de geração de energia redundantes, por exemplo, podem garantir que no-breaks e baterias sejam mantidas em funcionamento por mais tempo. 

Já o controle de acesso com padrões internacionais de segurança, combinados com tecnologias avançadas e rigorosos processos para garantir segurança física e lógica também são essenciais. Ele ajuda a evitar acessos indevidos, falhas humanas e crimes cibernéticos.

Só um data center com infraestrutura de ponta pode garantir um melhor SLA (Service Level Agreement) de downtime.

Na conta do início deste post, fizemos um cálculo considerando 5 horas de downtime em um ano. Pode parecer pouco, mas avalie os números abaixo:

100% - Representa nenhum downtime no ano, ou seja, o data center não esteve nem um minuto sequer indisponível.

99,999% - Menos de 5,26 minutos.

99,99% - De 5,26 a 52 minutos.

99,9% - De 52 minutos a 8 horas e 45 minutos.

99% -  De 8 horas e 45 minutos. a 87 horas e 56 minutos.

90% -  87 horas e 56 minutos a 875 horas 54 minutos.

Fonte: Microsoft

Qualquer minuto de downtime impacta na operação e nos custos envolvidos no processo. Você certamente espera 24x7 de uptime, ou seja, a maior disponibilidade possível.

Uma maneira de saber a disponibilidade garantida pelo DC, é buscar pela certificação Tier que possuem. Ela varia de I a IV, sendo a última a mais avançada e garantem as seguintes porcentagens de uptime:


Tier I - 99,671% - representa em torno de 28,8 horas de downtime em um ano

Tier II - 99,741% - representa em torno de 22 horas de downtime em um ano

Tier III -  99,982% - representa em torno 1,5 horas de downtime em um ano

Tier IV- 99,995% - representa em torno de 26.3 minutos de downtime em um ano

Mas você já sabe que 0% de downtime não será uma realidade. Então, avalie as necessidades do seu negócio para encontrar o melhor modelo de data center para sua empresa. E avalie os possíveis fornecedores sob essa ótica: quanto melhor o SLA de downtime, menor o risco de seu data center ficar fora de operação.

Aqui na ODATA, por exemplo, trabalhamos com os níveis de TIER III, garantindo disponibilidade de 99,982% - o que representa em torno 1,5 horas de downtime em um ano.

Vale destacar que, desde a inauguração do nosso DC, mantemos a disponibilidade de 100% de uptime, com data centers na modalidade colocation.
Se você quiser avaliar esse modelo para sua empresa, fale conosco. Estamos à disposição. Podemos inclusive agendar uma visita a nossas instalações.

Comentários

Assine a newsletter