Como um data center deve proteger os dados da sua empresa?

Tempo de leitura:

O nível de proteção dos dados ainda é uma das principais fragilidades da área de tecnologia da informação nas organizações. Contudo, diante de uma ameaça ou ataque cibernético, os investimentos na área tendem a aumentar. De acordo com a 20ª Pesquisa Global de Segurança da Informação da EY, 76% dos entrevistados responderam que a descoberta de uma falha cibernética, que tenha causado algum dano, seria responsável pela alocação de mais recursos.

 

New call-to-action

 

Além disso, há outro fator preocupante: a confiança no sistema de segurança de dados é baixa. A mesma pesquisa indica que apenas 4% das organizações se dizem confiantes quanto às implicações de segurança da informação na atual estratégia e acreditam ter considerado todos os riscos e ameaças pertinentes.

Os números confirmam: a área precisa de mais atenção e investimentos. É urgente elaborar estratégias que possam prover e garantir a segurança da informação nas empresas.

O ideal é partir do princípio de que toda a estrutura de TI (Tecnologia da Informação) precisa de mecanismos eficientes. A segurança em data center, tanto física quanto da informação, garante não só a disponibilidade dos dados como também dos sistemas, mantendo sua operação com o máximo potencial de seus recursos de TI.

Mas, afinal, qual seria o melhor caminho para garantir a segurança no data center? Para ajudar, apresentamos algumas das melhores práticas que você pode incorporar à rotina da sua organização. Confira!


#1 Detectação de vulnerabilidades


No cenário ideal, um data center corporativo precisa ser inviolável. Afinal, ele armazena recursos importantes e dados sigilosos, indispensáveis para o perfeito funcionamento dos setores da empresa, bem como pela disponibilidade dos serviços. Ele dá o suporte necessário para a eficiência operacional da organização e isso não pode ser colocado em risco.

Daí a importância da segurança da informação ser garantida a partir de uma perspectiva de estrutura e de dados, para assegurar a integração de soluções de rede, virtualização, mobilidade e nuvem.

Com esse conjunto de recursos, é possível detectar, em tempo, vulnerabilidades para traçar ações que aumentem o nível de proteção do data center de diferentes formas. Os sistemas de gerenciamento, por exemplo, são indicados para monitoramento dos servidores e serviços, já que emitem alertas sobre possíveis ameaças, auxiliando na prevenção de danos aos dados e à empresa.


#2 O backup sempre será indispensável


A cópia de segurança de dados, popularmente conhecida como backup, é um mecanismo fundamental para garantir a disponibilidade e a segurança da informação diante de ameaças ou ataques cibernéticos.

É recomendado que sejam feitas, no mínimo, duas cópias da base de dados em dispositivos físicos, como os servidores de backup, ou em nuvem.

Isso porque somente com a cópia de segurança torna-se possível recuperar, com rapidez, qualquer tipo de informação que tenha sido perdida em função de falhas humanas, sinistros, ações de hackers ou roubos.

Vale lembrar que os backups devem ser armazenados em locais diferentes da fonte de origem. Afinal, dessa forma, garante-se a segurança da informação e a disponibilidade dos dados mesmo que o diretório central do data center seja afetado.


#3 Criptografia de dados


Esse é outro requisito essencial para a construção da estratégia de segurança em data center. Os arquivos precisam estar criptografados, ou seja, codificados de modo que somente o destinatário e o emissor tenham acesso. Apenas dessa maneira é possível impedir que intrusos interceptem as informações da empresa.


#4 A redundância de sistemas é requisito obrigatório de segurança da informação


Além do backup, a redundância de sistemas também é indispensável para a alta disponibilidade das informações. Para garantir eficiência operacional a empresa precisa investir em uma infraestrutura replicada — física ou virtualizada.

Com a redundância, se um roteador falhar, por exemplo, imediatamente, o substituto entrar em operação, assegurando a continuidade das operações. Muitas vezes, o usuário não percebe qualquer tipo de instabilidade, porque é possível evitar a parada.

Quando as organizações negligenciam e deixam de priorizar a redundância de sistemas, o custo sempre é mais alto do que o investimento.

Segundo pesquisa da Osterman Research, realizada com mil Pequenas e Médias Empresas (PMEs) europeias, o maior prejuízo vem do downtime causado pela indisponibilidade de aplicações e dados críticos para realizar negócios. A redundância é a solução para evitar downtimes e perdas.


#5 Proteção contra acidentes e danos físicos


O data center armazena todas as informações da organização. Sendo assim, qualquer tipo de dano físico à estrutura pode comprometer a continuidade dos negócios.


Daí a importância de investir pesado em proteção contra riscos físicos que possam impactar no data center e, com isso, no fluxo de trabalho da empresa. Assim como qualquer outro espaço, o data center está suscetível a incêndios, curtos circuitos, vazamentos e acessos indevidos.


Como forma de prevenção de danos, vale a pena fazer um controle minucioso de temperatura, umidade, índice de partículas no ar, entre outros, do data center.


Além disso, é preciso desenvolver um plano de recuperação de desastres, que reúna todos os processos a serem seguidos, bem como os procedimentos necessários para recuperação após qualquer tipo de acidente.


Segurança garante eficiência operacional


A segurança em data center deve ser prioridade da área de TI da empresa. Não há como pensar em um ambiente operacional estável e eficiente, sem antes prover os requisitos de segurança para garantir a disponibilidade dos dados e sistemas.

Portanto, elabore uma estratégia completa que seja capaz de proteger a estrutura e as informações do data center e da organização. Investir em tecnologia da informação é salvaguardar o futuro da empresa.

New call-to-action

Comentários

Assine a newsletter