Como fazer implementação de servidor em colocation sem comprometer sua operação

Tempo de leitura:

Sua empresa precisa acompanhar com velocidade as transformações dos negócios. Portanto, você entendeu, em parceria com seu time de TI (Tecnologia da Informação) que é hora de rever a infraestrutura de data center da empresa. É a oportunidade perfeita para direcionar investimentos em Opex (Operational Expenditure), com o modelo de colocation.

Até aqui, tudo ótimo! 

Mas as perguntas sobre quais etapas e desafios têm a implementação de colocation já devem ter surgido. 

Então leia esse post para entender melhor como funciona e quanto tempo demora a implementação de servidor em colocation.

# Principais etapas para alocar a infraestrutura de TI em colocation

Fazer a migração do seu data center é uma missão crítica. Por isso, planejamento e atenção aos detalhes desse projeto de moving é fundamental. O plano deverá conter ações para lidar com os riscos aos dados e equipamentos, impactando minimamente a operação da empresa. 

Basicamente, esta análise deve acontecer em 3 etapas:

Na origem

Antes de qualquer movimento, é preciso identificar backups necessários, equipamentos, interfaces, cabeamento, trilhos e conexões elétricas do que será movido. Além de embalagens com isolamento térmico, transporte e acompanhamento especializados, com seguro e até escolta armada.

Este é um bom momento para rever a disposição e agrupamento dos equipamentos que pode resultar em otimização de custos por ocupar menos espaço! Conte com o seu time técnico e o do data center para realizar este estudo.

Nessa avaliação, é fundamental também identificar planos de contingência para garantir que sistemas essenciais não sofram paradas. Talvez seja necessário um ambiente temporário para manter a operação (ambiente bolha), até o data center colocation seja efetivado. Você vai precisar considerar esse custo no seu orçamento.

As paradas necessárias devem acontecer no menor tempo possível e no momento mais oportuno sob a ótica da operação de negócio. Uma mudança como essa não será planejada para ser realizada quando a sua infraestrutura é utilizada e/ou acessada, ou mesmo na Black Friday se sua empresa é forte em e-commerce, por exemplo.

No destino

Já no data center colocation, o destino de seus servidores e outros equipamentos, as estruturas e passagens deverão estar preparadas, assim como o time para a movimentação desses equipamentos sensíveis. O processo contempla desembalar e posicionar cada equipamento nos racks, com seus respectivos trilhos, suportes e cabeamento. As conexões elétricas e lógicas, testes de funcionamento físico e validação dos sistemas também deverá ser realizada.

Aqui, vale salientar que, ao optar por colocar seu servidor em colocation, e escolher criteriosamente seu parceiro para isso, a infraestrutura já estará preparada para receber os equipamentos. Então, preocupações com links de operadoras, refrigeração, cabeamento lógico e elétrico, preparação do time local , entre outros, são minimizadas.

Pós-moving

Após a migração, é importante realizar todos os testes de ligamento e conectividade. Importante que a equipe envolvida permaneça por um período no data center colocation, mesmo depois da operação estar estabelecida. O objetivo é estar à postos para correções caso apareçam problemas ocasionados pelo moving e garantir o retorno rápido em caso de downtimes inesperados.

Por falar em equipe, sua empresa vai precisar de uma equipe especializada para implementação da infraestrutura em colocation. Como indicamos na avaliação da origem, é necessária expertise e cuidados específicos para fazer essa movimentação. Esse custo também precisa ser computado no orçamento de moving da sua empresa.

# Quais desafios têm a implementação de colocation

Você sabe que para garantir a viabilidade financeira de um projeto como esses, a análise irá além dos custos diretos. Existe a resistência da empresa em investir no novo modelo e em aceitar que alguma instabilidade pode acontecer no início, mesmo que todos os esforços sejam feitos. Assim como o cuidado redobrado com eventuais perdas financeiras que podem ser ocasionadas caso o projeto tenha problema.

Você, enquanto gestor financeiro, sabe da importância de direcionar bem os investimentos da companhia. Por isso temos publicado aqui no blog várias postagens capazes de ajudar nesse processo:

Com a segurança da decisão tomada, os pontos principais de análise, que impactam diretamente na implementação de colocation, passarão essencialmente por:

  1. Definir as prioridades sobre serviços, servidores e conectividade que serão levados para o data center;
  2. Encontrar o data center colocation ideal para sua empresa;
  3. Preparar a empresa para o momento do moving e para possíveis percalços;
  4. Organizar o orçamento para compor os custos do projeto de moving, com equipe especialista e, se necessário, ambiente temporário;
  5. Preparar sua empresa quanto ao tempo necessário para a implementação do servidor em colocation. O moving pode ser realizado em fases, conhecidas como ondas conforme a programação e estratégia da sua empresa. Desta forma, pode-se, por exemplo, enviar um ambiente não tão crítico na primeira onda e verificar pontos a serem melhorados para as próximas.

Este último ponto pode variar de acordo com o volume de equipamentos e servidores envolvidos.

Planejamento e pessoas especializadas serão fundamentais para colocar os servidores da empresa em colocation. Comece por esses pontos para apoiar seu time de TI e garantir que as dificuldades não vão impedir a implementação de colocation com sucesso na sua empresa.

Comentários

Assine a newsletter